A Mulher do Sanfoneiro

(Luiz Gonzaga e João Silva)

 

E a mulher do sanfoneiro

Sabe quem é ela?

É aquela da panela

Do caldo que cheira

Lá de baixo da jaqueira

No fim do terreiro

Onde ajunto biriteiro

Que é um Deus dará!

 

Se o cabra pede uma lapada

No balaio tem

Uma piaba, tripa assada

No balaio tem

Um tira-gosto de redém

No balaio tem

Mas não venha como coisa e outra

Que eu não topo certas coisas

E acaba o xeêm

 

E o pau quebra

E o pau quebra

E o pau quebra

Vai quebrar

E o pau quebra

 

E a polícia acaba o brega

E o pau quebra

O sanfoneiro não se entrega

E o pau quebra

Pica a mula, pica a jéga

Chega, chega de chumbrega

Que acabou-se o fuá

 

 

LP: SANFONEIRO MACHO; 1985; RCA-Camden