Acordo às Quatro

 (Marcondes Costa) 

 

Acordo às quatro

Tomo meu café

Dou um beijo na muié

E nas crianças também

Vou pro trabáio

Com céu ainda escuro

Respirando esse ar puro

Que só minha terra tem

 

Levo comigo

Minha foice e a enxada

Vou seguindo pela estrada

Vou pro campo trabaiá

Vou ouvindo

O cantar dos passarinhos

Vou andando, vou sozinho

Tenho Deus pra me ajudar

 

Tenho as miúças

Carneiro, porco e galinha

Tenho inté uma vaquinha

Que a muié véve a cuidar

E os menino

Digo sempre a Iracema

Em Santana de Ipanema

Todos os três vai estudar

 

Pois eu não quero

Fío meu analfabeto

Quero no caminho certo

Da cartilha do abc

 

Eu mesmo

Nunca tive essa sorte

Mas eu luto inté a morte} bis

Móde eles aprender

 

LP: EU E MEU PAI; 1979; RCA