Adeus Pernambuco

(Hervê Cordovil)

 

Oi mano, a saudade é de matá

Oi mano, tou maluco pra voltá

 

Adeus Pernambuco

A saudade é de matá

Adeus Pernambuco

Tou maluco pra voltá

 

Deixei lá na porta

Da minha choupana

Com os óio vermêio

Com beijo na boca

Minha pernambucana

Peguei meu cavalo

Toquei as ispóra

Sem oiá pra trás

Parti para longe

Pensando que nunca

Voltava lá mais

 

Saudade que aperta

Que dói, que maltrata

De uns óio vermêio

De um beijo na boca

De um luar de prata

Meu Deus, se eu pudesse

Fazer o que manda

O meu coração…

Voltava pra lá

Ou trazia pra cá

Todo o meu sertão

 

 

78 RPM V800961b 1952