Canaã

(Humberto Teixeira)

 

Por que cantar tanta tristeza?

Me pergunta com firmeza

Gente alegre de riqueza

Que Deus quiz pro lá de cá

Pra essa falsa realeza

Que nem sabe com certeza

Que tá tem uma princesa

Vou de novo explicar

 

Cabe a mim, lei do destino

Responder o destino

Já que a saga do norte ofendido

Fui eu que cantei

Quando um dia com o povo

A viola eu afinei

E com mote, tristeza é pobreza

Eu rimei…

Minha lira, que a face de norte mudou

E eu mudei

 

Asa Branca, Assum Preto, Acauã

Me ajudem de novo a cantar

E dizer que num é só tristeza

O que tem o sertão a mostrar

Que o caboclo que tanto sofreu

E caído, viveu pra sonhar

Amanheçer  dentro de Canaã

Sem sair de seu próprio lugar

Tem agora não só a esperança

Mas certeza de se levantar

 

Eis porque eu voltei a cantar

Vejam todos, não há tristeza

Na viola que eu passo a tocar

Canaã, que alegria te encontrar

Canaã, Canaã, Canaã

LP: CANAÃ; 1968; RCA VICTOR