Cidadão de Caruaru

( Janduhy Finizola e Onildo Almeida)

 

Caruaru, obrigado Caruaru

Se tou no Norte, se tou no Sul } bis

Nunca me esqueço de Caruaru

 

Sou pernambucano

Do sertão, cabra da peste

Já cantei por todo agrete

Já cantei por todo agrete

Fiz o mundo baionar

Mas quando canto

No recanto deste canto

O meu canto é quase um pranto

Dá vontade de ficar

Me dá lembranças

Das andanças e das danças

Que brincar por estas bandas

A saudade é de matar

 

Eu voltei pra ver Caruaru

Essa terra da gente

É gente da gente

Isso tudo é o país de Caruaru

Eu voltei pra ver Caruaru

 

Prá cum povo ser também povo

Ser cidadão de Caruaru

LUIZ GONZAGA; 1973; Odeon