Contrastes de Várzea Alegre

( José Clementino e Luiz Gonzaga)

 

Mas diga moço

De onde você é?

Eu sou da terra

Que de mastruz se faz café } bis

 

Meu amigo eu sou da terra

De Zé Felipe afamado

Onde um bode era marchante

E Jesus foi intimado

Sou da terra do arroz

Do sabido acrabunhado

Do calango carcereiro

Meu amigo eu sou da terra

Que o peru foi delegado

 

Meu amigo sou da terra

Que o sobrado é nos oitão

Que ouve três anos de guerra

Não morreu um só cristão

Onde o eleitor amigo

Pra votar não faz questão

Eleger um pra prefeito

Numa só semana

Quatro nobres cidadãos

 

Meu amigo em minha terra

Já pegou fogo no gelo

Apagaram com carbureto

Foi o maior dismantêlo

São Brás lá é São Raimundo

Se festeja com muito zelo

O prefeito completava a idade

Era de quatro em quatro ano

E nunca penteou o cabelo

 

Meu amigo eu sou da terra

Que o padre era casado

Enviuvou duas vezes

E depois foi ordenado

Ainda hoje reza missa

E os filhos já estão criados

O juiz é uma mulher

Finalmente eu sou da terra

Que o cruzeiro é isolado

ÓIA EU AQUI DE NOVO; 1967; RCA VICTOR