Dengo Maior

(Humberto Teixeira e Julinho)

 

Nunca houve dengo igual

Se já houve eu nem sei

Como então te querer mal

Se entre nós o bem foi rei?

 

Por mil coisas que me destes

Te agradece a minha dor

Que bom Deus te dê em dobro

Tudo o que por mim fizestes

Nada de sentir remorços

Segue em paz o teu caminho

A saudade é como arminho

Suaviza solidão

 

Olha amor, eu não tou só

Tenho as flores que plantates

São ternuras que deixastes

Dentro do meu coração

DENGO MAIOR; 1978; RCA