Erosão

( Walter Santos e Tereza Souza)

 

Ainda hei de ver um dia

A minha terra sem a praga da erosão

 

Ai! Quem me dera se eu pudesse

Se Deus me desse uma atenção

E ajustasse todo o povo

No mutirão para acabar com a erosão

Ainda hei de ver um dia

De novo o verde

Se espalhar no meu sertão

 

A erosão parece uma serpente

Rachando a terra, devorando o chão

E a riqueza que era da gente

Vai toda embora com a erosão

Por isso, agora estou aqui cantando

Chamando o povo pra esse mutirão

Vamos minha gente, salvar nossa terra

Das rachaduras da erosão

 

No meu pedacinho de chão

Não tem perigo de erosão

 

Eu aprendí o jeito certo

De proteger a terra e a minha plantação

Ai, minha gente, que fartura

Tanta riqueza se espalhando pelo chão

É macaxeira, girimum caboclo

Batata- doce, melancia e melão

Feijão de corda se enroscando em tudo

Dá gosto de ver minha plantação

Lá no açude, a água tão limpinha

Espelha o verde e a criação

É tão bonito este meu pé-de-serra

Com a terra livre da erosão (bis)

– Lançada em um disco promocional.