Eu vou pro Crato

(José Jataí e Luiz Gonzaga)

 

Eu vou pro Crato

Vou matar minha saudade

Ver minha morena

Reviver nossa amizade

Eu vou pro Crato

Tomar banho na nascente

Na subida do lameiro

Tomo uns tragos de aguardente

Eu vou pro Crato

Comer arroz com piquí

Feijão com rapadura

Farinha do Carirí

 

Eu vou pro Crato

Vou matar minha saudade

Ver minha morena

Reviver nossa amizade

Eu vou pro Crato

Pois a coisa melhorou

A luz de Paulo Afonso

 

Cariri valorizou

Eu vou pro Crato

Já não fico mais aqui

Cratinho de açúcar

Coração do Cariri

 

Eu vou pro Crato

Vou matar minha saudade

Ver minha morena

Reviver nossa amizade

Eu vou pro Crato

Vou pra casa de se Pedro

Seu Felício é véio macho

Tou com Pedro, tou sem medo

Eu vou pro Crato

Vou viver no Cariri

Cratinho de açúcar

Tijolo de buriti

 

Falado;

            É! O caminho é de açúcar! O cratinho é doce! Cratinho é terra boa! Todo mundo quer ir pra lá… Eh! Eh! Mas ninguém quer ir pro hoté… todo mundo que se arrumar na casa de um parente. Um, diz que vai pra casa do Alencar… Ah! Ah! Outro diz que vai pra casa do parente. Outro diz que vai pra casa de Seu Pedro… É… mas eu num gosto muito disso não! Só se fizerem como eu, né? Eu quando vou me hospedar na casa de um parente, eu levo um saco de farinha, levo um bode seco, uma dúzia de abacaxi, um capãozinho, um saco de piquí, uma cachacinha boa… Ah! Ah! Faça como eu, viu? O parente fica satisfeito. Depois você pode dizer que o Cratinho é de açúcar… Pode passear… pode se divertir no Crato, mas faça como eu…Ah! ah!

PISA NO PILÃO (FESTA DO MILHO); 1963; RCA VICTOR