Fogo do Paraná

(João do Vale e Helena Gonzaga)

 

José Paraíba

Seu Zé das Crianças

Foi pro Paraná

Cheio de esperanças

Levou a muié

E seis barrigudinhos

Pedro, Juca e Mane

Severino, Zefa e Toínho

 

No norte do Paraná

Todo serviço enfrento

Batendo enxadas no chão

Mostrou que tinha valo

Dois anos de bom trabáio

Até cavalo comprou

 

A menininha crescia

Robusta e muito animada

A muié sempre dizia

Ninguém tá com pança inchada

Tudo igualzinho a sulista

De bochechinhas rosadas

Se nordestino é pesado

É do ofício, o cavaco

É como diz o ditado

Corda só quebra no fraco

Deus quando dá a farinha

O diabo vem, rasga o saco

 

Aquele fogo, maldito

Que o Paraná quase engole

José lutava com ele

Acompanhado da prole

Vosmicê fique sabendo

Que José nunca foi mole

 

Depois de tudo perdido

Chegando no seu ranchinho

Foi conferir os meninos

Tava faltando Toínho

Voltou em cima do rastro

Gritando pelo caminho

 

Cadê Toínho

Toínho num veio

Cadê toínho

Qui num tá no meio

SANFONA DO POVO; 1964; RCA VICTOR