Jesus Sertanejo

(Janduhy Finizola)

 

Jesus

Meu Jesus sertanejo

Presença maior, minha crença

Nestas terras sem ninguém

 

Silêncio

Na serra, nos campos

Ai desencanto que a gente tem

E o vento que sopra, ressoa

Ai sequidão que traz desolação

 

Ô ô Jesus razão

Tão sertanejo

Que entende até de precisão

 

De sol vou sofrer ou morrer

E as pedras resplandem

A dureza, a pobreza desse chão

João, um menino, um destino

Ai nordestino, de arribação

Cenário de dor e de calvário

Ai muda a face desta provação

 

Do céu há de vir solução

Na terra, a semente agoniza

Preconiza solidão

E a tarde que arde, acompanha

Ai tanta sanha de maldição

Aqui vou ficar, vou rezar

Ai vou amar a minha geração

 

Ô ô Jesus razão

Tão sertanejo

Que entende até de precisão

CHÁ CUTUBA; 1977; RCA