Louvação a João XXIII

( Monsenhor José Mourão e Nartan Macedo)

 

Cantador desse Nordeste

Afinei o meu bordão

Eu agora vou fazer

Uma bonita louvação

Ao velhinho lá de Roma

Ao bondoso Papa João } bis

 

Vinte e três de santidade

Oitenta de coração

Nove mil de caridade

Não sei quanto de atenção

Pastor de toda pobreza

Vaqueiro dessa nação } bis

 

Que ama Nosso Senhor

E se alimenta do pão

Que mata a fome de todos

Até dos sem precisão

E não se assa no forno

E nem conhece balcão } bis

 

Água, luz e alimento

De todos sem exceção

Mata a sede da pobreza

Atravessa a escuridão

Alenta toda a tristeza

Acaba com a escravidão }bis

 

É a lei do mundo livre

Na pureza do cristão

Que não odeia e trabalha

Pela humana redenção

A linguagem do amor

Do Santo Papa João } bis

 

Escreveu no Vaticano

A sábia e grande lição

Da igreja mãe e mestra

Com a sua própria mão

E alegrou todo universo

No esplendor da união } bis

 

Do cristianismo puro

Que se levanta do chão

Como a semente de trigo

Do mais puro e branco pão

Uva dourada do vinho

Do Cristo da Comunhão } bis

 

Senhor de toda a bondade

Senhor de todo perdão

Que mandou chamar bem cedo

O bondoso Papa João

A quem fiz e farei sempre

Esta bela louvação } bis

O SANFONEIRO DO POVO DE DEUS; 1967; RCA VICTOR