Meu Padrim

(F. Marcelino)

 

Ai meu Padrim

Meu Padrim Frei Damião

Ai meu Padrim

Me dê sua benção

Ai meu Padrim

Meu Padrim Frei Damião

 

No Nordeste, quando há seca

Ninguém agüenta viver

Sofre o pobre, sofre o rico

E o céu nada de chover

O caboclo nordestino

Tem um grande coração

Deixa a roça, deixa tudo

Vai ouvir Frei Damião

 

Meu Padrim como é triste

Ver morrer tantos anjinhos

Ai, comendo o xique-xique

Não agüentaram, os pobrezinhos

Enquanto os nordestinos

Comem fogo que nem sapo

O dinheiro da emergência

Muita gente enche o papo

 

Meu Padrim, o Senhor sabe

O nordestino é bonzinho

Mas quando ele se assanha

É pior que porco espinho

Rogue a Deus que lhes proteja

Muito grande a sua voz

Peça sempre à Mãe de Deus

Paciência a todos nós

78 RPM V802194b 1960