O Coreto da Pracinha

(Altamiro Carrilho e Ribeiro Valente)

 

Primeiro a banda passou

Tocando  coisas de amor

Depois tocaram a praça

Em rimas cheias de graça

Mas ninguém se lembrou

Do Correto da Pracinha

Onde sempre tocava

A garbosa bandinha

 

O correto iluminado

Bem em frente à Matriz

Transformava sem arco-iris

As águas do chafariz

E a retreta começava

Logo após a ladainha

Com polcas, maxixes e valsas

Tocadas pela bandinha

 

Agora, só resta a lembrança

Do Correto da Pracinha

Onde cantava a esperança
Quando tocava a bandinha

SÃO JOÃO QUENTE; 1971; RCA