Orélia

(Humberto Teixeira)

 

Caminhando sem destino

O destino é Deus quem dar

Sempre em paz comigo mesmo

Coração só pra cantar

 

Um xamego hoje aqui

Amanhã um dengo acolá

E o pó das estradas apagando

Os xodós que eu tive por lá

Foi entonce que ela surgiu

Tava escrito Orélia chegar

 

Orélia, ai, ai, Orélia

Só de olhar teu olhar magnéto

Ví logo o meu fim

Que paixão, foi um choque da peste

Meu corpo tremeu

Que nem curumím

 

Orélia, ai, ai, Orélia

Ai bichinha, se tu me deixar

Vai ser muito ruim

Faço um arte no leste e oeste

No sul, no nordeste

Dou cabo de mim

EU E MEU PAI; 1979; RCA