Sangue de Nordestino

( Luiz Guimarães)

 

Quando eu vim da minha terra

Foi com dor no coração

Quando lá deixei meus pais

Meus parentes, e meus irmãos

Aquela gente querida

Faz parte da minha vida

Como vou dizer que não } bis

 

Se eu não sentisse saudade

Tanto assim eu não diria

Minha história era sem versos

Inspiração não teria

Era uma dor sem jeito

Que rojando no meu peito

Coração se afogaria } bis

 

Se passaram muitos anos

Mas a saudade ficou

Levo a vida assim cantando

Sufocando a minha dor

 

Sou sangue de nordestino

Marcado pelo destino

De ser sempre um sofredor

 

Santo Antonio nunca casou

SANGUE NORDESTINO; 1974; Odeon