Sou do Banco

(José Clementino e Hidelito Parente)

 

Eu sou do banco

Do banco, do banco   bis

 

É que o matuto

Deu de garra dos papé

E foi bater

Nos banco do Juazeiro

Tirou dinheiro

E comprou cinco vaquinha

E para tanto

Contratou logo um vaqueiro

 

O tangedor montou logo um alazão

E abriu os peito

Num aboio que não tem fim

Coitada, da boiada

Encabulada, com o chocai

Tocando assim

 

Eu sou do banco

Do banco, do banco   bis

 

Eu sou do banco

Do Banco do Brasil

Do Banco do Nordeste

Cabra da peste

 

No Ceará, eu sou do BEC

Mas em Pernambuco

Sou do Bandepe

Bandepe, Bandepe

Bandepe, Bandepe

 

E lá vai ele

Assustando a matutada

Em cada casa

Só se ouve o zum zum zum

Gado bonito e famoso desse tipo

Só quem possui

É Feitosa dos Inhamuns

 

Se alguém pergunta         

De quem é essa boiada?

Ele responde

É de Seu Zé Clementino

É aí

Que o gado emperra

O gado berra

Que o vaqueiro ta mentindo

 

Eu sou do banco…

EU E MEU PAI; 1979; RCA