Apelo a Gonzaga

Apelo a Gonzaga

Retorna, Rei, no voo da "Aza Branca"
Planta outra vez teu canto neste chão
Desce num raio feito de baião
Com tua arte genuína e franca

Volta, Rei Lua, e fica no sertão
E o sofrimento desse povo estanca
Corre esse mundo inteiro e alavanca
O valor que o Nordeste tem na mão

Retorna, Lula, que o Exu te aguarda
Veste o gibão, ostenta tua farda
Faz da sanfona cetro e do chapéu

Tua coroa, Rei da minha gente
Fica de vez que Deus vai certamente
Seguir teu rastro e se mudar do céu!

                               Exu, 13/ Dezembro/ 2009.
                               Antônio Marinho